Marcado: estilo

Roller Derby é estilo de vida

Mais uma vez, a caçulinha da liga, Baby Merciless (Ana Luiza Lube), atraiu os holofotes da mídia. Dessa vez, ela foi entrevistada pela Revista Capricho para uma matéria sobre mudança de estilo. Sem esquecer de citar que o Roller Derby fez, e muito, parte da sua transformação, afinal, esse esporte tem tudo a ver estilo e atitude! A edição da revista já está disponível nas bancas, mas você pode conferir aqui também:

Conheça a história de garotas que mudaram o guarda-roupa e o estilo de vida

Por Nuta Vasconcellos, em 04/04/2014 às 17:30

Com as novas roupas, elas encontraram a sua verdadeira personalidade. Inspire-se!

Sente vontade de mudar seu estilo, mas fica insegura com o que os outros vão pensar ou tem medo de colocar em prática certas mudanças? Inspire-se na história destas meninas incríveis!

1. Ana Luiza Lube, 16 anos, Vila Velha (ES)

Como se vestia: Adorava looks românticos (estampas de flor eram sua maior paixão!) Ela era loira e sua cor favorita de roupas era rosa.
Como se veste agora: Curte looks mais radicais, como meias coloridas, calças rasgadas e acessórios diferentes. Adora preto, cabelos coloridos e camisas com estampas divertidas, principamente de bandas e de ligas de Roller Derby (o esporte que passou a praticar)!
Por que quis mudar: Quando tinha 14 anos, começou a se sentir insatisfeita com sua identidade e deslocada. Tinha vontade de experimentar looks mais confortáveis e estilosos e ganhou coragem depois que foi ao primeiro show de rock. Ana Luiza se identificou totalmente com aquela galera.
Mudou e aí? Perdeu alguns amigos, mas ganhou vários novos, principalmente no Roller Derby, esporte que começou a praticar depois que resolveu mudar o estilo de vida.
Conselho para quem quer se encontrar: “Não tenha medo! Quando a gente se conhece melhor, fica mais feliz!”

2. Jordana Barreto, 20 anos, Anápolis (GO)

Como se vestia: Gostava de looks ousados com meias rasgadas, muito acessórios, estampas chamativas e animal print
Como se veste agora: Curte looks mais românticos, discretos e cores suaves como rosa. No armário dela não pode faltar saias e peças florais.
Por que quis mudar: Aos 19 anos, começou a ficar mais ligada a sua religião (Jô é católica) e isso começou a interferir no modo de vestir. Suas amigas já não eram as mesmas de antes, nem os lugares que frequentava (antes, ela era fã de boates bem alternativas). Os looks delicados combinavam mais com seu novo estilo de vida e como ela se sentia por dentro. Jô percebeu que não se gostava antes e decidiu que era hora de se amar de verdade!
Mudou e aí? A Jô percebeu que você pode se destacar com as suas atitudes e não só com seus looks. Depois que assumiu um guarda-roupa mais discreto, ela também se sente mais segura e confiante.
Conselho para quem quer se encontrar: “Todo mundo deve se reinventar. Se você está sentindo que é o que você deve fazer, faça!”

3. Thalita Zandonadi, 20 anos, Uberlândia (MG)

Como se vestia: Thalita tentava se encaixar em roupas femininas e tinha os cabelos longos.
Como se veste agora: Básica! Camiseta, calça jeans e tênis (Vans de preferência!) é a sua combinação preferida.
Por que quis mudar: Aos 17 anos, Thalita percebeu que adotava aquele estilo só para se encaixar ao grupo de pessoas com quem convivia e não refletia quem ela era, já que escondia sua personalidade.
Mudou e aí? Com a mudança, Thalita também se assumiu homossexual. E o mais legal: a família a aceitou com bastante amor!
Conselho para quem quer se encontrar: “Não fique com medo de ser julgada. Seja confiante e as pessoas que realmente te amam estarão com você!”

4. Maria Helena Terto, 14 anos, Rio de Janeiro (RJ)

Como se vestia: Era superbásica até o ano passado. Usava muita sapatilha e saia rodada. Gostava de pagode e era influenciada pelo estilo das meninas mais velhas do grupo.
Como se veste agora: O estilo tem tudo a ver com o rock. Blusa de banda, preto e camisa xadrez!
Por que quis mudar: a mudança surgiu com o novo gosto musical. Quando passou a curtir bandas como Iron Maiden, Black Sabbath e Paramore, seu guarda-roupa mudou naturalmente.
Mudou e aí? Maria Helena acha que mudou muito por dentro. Fala e veste o que gosta sem medo da reação das pessoas. Em vez de se preocupar com a opinião dos outros, prefere pensar que está feliz!
Conselho para quem quer se encontrar: “Mudanças são essenciais e o preconceito é inevitável.  Muita gente acha que quem escuta rock é agressivo, mas a maioria é super do bem. Sou um exemplo disso!”

5. Marcela Casolari, 20 anos, Belford Roxo (RJ)

Como se vestia: Adotava o estilo grunge. Blusão de flanela, coturno, jeans rasgado, cabelo colorido e piercings eram marcas registradas.
Como se veste agora: Ama peças hippie/folk. Adora saia longa, sandália rasteirinha, bolsa de franja e muitos acessórios artesanais.
Por que quis mudar: Quando entrou para a faculdade, aos 18 anos, começou a seguir o budismo. Ela se tornou vegetariana e começou a praticar meditação. O novo estilo de vida mudou completamente o seu jeito de se vestir.
Mudou e aí? Tem certeza de que se encontrou, pois se sente mais segura. O namorado terminou com ela por não curtir a “vibe zen”, mas Marcela percebeu que, com o término do namoro, ela pode se conectar mais com ela mesma e ficou mais à vontade para ser quem ela queria ser e conhecer pessoas com as mesmas ideologias.
Conselho para quem quer se encontrar: “Como toda adolescente, passei muito tempo tentando ‘me encaixar’, em vez de descobrir quem eu realmente era. Procure se conhecer, pois sua tribo aparecerá naturalmente. Encontrei muitos amigos que curtem a mesma vibe natureza que eu e, dos antigos, ficaram os que gostam de mim do jeito que eu sou.”

E aí? Quem ficou inspirada com as histórias destas garotas?
Link da matéria:  http://capricho.abril.com.br/vida-real/conheca-historia-garotas-mudaram-guarda-roupa-estilo-vida-778922.shtml

Anúncios